Etapa 5 – Relatório 7

Hungria e Romênia

Siar e Bunã Ziua amigos, Finalmente cheguei no leste europeu! Passei pela Hungria e agora estou pedalando no tempo entre carroças, patos e galinhas que fazem parte do meu dia a dia nas estradas de terra da simpática Romênia.

Hungria

Entrei na Hungria onde o rio Danúbio sai e fui subindo pela sua margem até chegar em Budapeste. Sempre imaginei que uma rota perto do famoso Danúbio seria recheada de castelos e fortificações e não vi nada disso. No fértil vale passei por florestas, plantações e pequenas vilas. Além da agricultura, o país possui também abundantes recursos minerais como manganês, bauxita e carvão.

Apesar de estar “subindo” o Danúbio, todo percurso foi praticamente plano. Hungria é um país sem montanhas e o ponto mais alto tem apenas mil metros. Fácil de pedalar mas com poucas paisagens interessantes.

No percurso tive alguns convites para casas e comidas mas acho na Europa será difícil conseguir a mesma hospitalidade que tive quando viajei junto com as três amigas na Eslovênia. O mundo sorri muito mais para as mulheres!

Assim como a Eslovênia, a Hungria também foi recentemente anexada a União Européia. Antigamente os grandes impérios se expandiam através de conquistas sangrentas mas o “Império” da União Européia está conseguindo fazer algo diferente – hoje são os países periféricos que se “maqueiam” e entram na “fila” para tentarem ser aceitos no grupo.

A próxima leva entrará em 2007 e Croácia e Romênia estão na lista de espera. Como qualquer outro império capitalista, as vantagens ficam nas mãos de poucos. Os pobres mortais que encontrei no caminho sempre reclamam que agora os preços estão subindo e os salários continuam os mesmos – é a bordoada globalizada. Ganham as grandes empresas e perdem os pequenos produtores, comerciantes, etc.

O Danúbio

“ O segundo maior curso fluvial da Europa, o Danúbio tem 2,8 mil quilômetros de extensão e passa por 11 países do continente. Está fortemente ligado à cultura e à economia de nações como a Hungria. Tem grande importância na agricultura, no transporte, no comércio e no turismo. No entanto, é um dos rios mais poluídos da Europa, situação agravada pelo corte indiscriminado de madeira ao longo das margens e pelos bombardeios da Otan sobre a Iugoslávia (1999). Os países banhados pelo Danúbio lançam em Bucareste (Romênia), em abril de 2001, megaprojeto com financiamento do Banco Mundial e da União Européia (UE). Serão feitos trabalhos de saneamento e de remoção de escombros e minas.”
Almanaque Abril 2003

Depois dos dias de camping selvagem na beira do Danúbio, cheguei na linda capital Budapeste (1.836 mil habitantes em 1999) e lá passei quase uma semana esperando o burocrático visto para a Romênia. De bicicleta passei dois dias prazerosamente perdido entre Buda e Peste, as duas margens divididas pelo Danúbio.

Budapeste
Foto: Terma do Gellért Hotel em Budapeste
Basta entrar em uma das várias termas da capital para perceber a rica história dos vários impérios que passaram por lá. Visitei a terma do Hotel Gellért que já foi o banho dos soldados durante o Império Romano, ampliado pelo Império Turco Otomano – profissionais em banhos – e depois reformada com a bela arquitetura Art Nouveau do Império Austro Húngaro.
Foto: Terma do Gellért Hotel em Budapeste

Andando pelo centro encontrei um casal holandes que esteve em Budapeste há vinte anos e estavam impressionados com as mudanças na cidade. – Antes tudo aqui era cinza, sem vida. Agora está tudo colorido. Disseram.

Peguei meu visto, abandonei o curso do Danúbio e segui pela planície do leste húngaro. Na segunda maior cidade da Hungria, Debrecen, com 210 mil habitantes, parei na casa de amigos ciclistas e aproveitei para fazer uma palestra e tentar arrumar o “mural de recados” do site que há tempos estava desativado.

Antes da fronteira fiz um camping nos fundos da casa de uma família muito simpática que acabou me convidando para jantar com eles. Não falavam inglês mas conseguimos nos comunicar um pouco. Foi a primeira vez que fiquei na casa de ciganos e a experiência foi muito boa, principalmente para eu perder uma discriminação estúpida (que redundância…) que eu possuia desse povo.

O povo Cigano

“… durante quase toda sua história, os ciganos foram discrimiados e perseguidos. O ponto máximo foi durante a sistemática exterminação dos ciganos durante o regime nazista na segunda guerra mundial, mas as limitações dos direitos deste povo é muito mais antiga. Existiram perseguições na França, Espanha, Holanda e Alemanha durante o século XVI. No século XVII, uma lei inglesa considerava crime entrar em contato com ciganos e leis similares também foram feitas na Suíça na mesma época. Na primeira metade deste século, apenas na Áustria e Alemanha, 68 leis foram aprovadas para perseguirem ciganos. Na Irlanda, a discriminação legal começou em 1541 – em 1596, um grupo de 198 ciganos foi sentenciado de morte por serem ‘desempregados’ – e as perseguições continuarem sem descanso até o século XVIII.”

The New Internationalist

O comunismo

Fotos: Igualdade no comunismo e marasmo na arquitetura
Nos países ex-comunistas que estou passando está sendo fácil de ver que o regime comunista não é a solução do mundo. A idéia do propriedade coletiva dos meios de produção pode ser interessante para pequenas comunidades mas nunca conseguiu existir em grande escala sem a necessidade de fortes ditaduras e toda ditadura é uma derrota das nossas ambições naturais de liberdade.

Mas infelizmente a queda do comunismo ocorreu não pela busca de liberdade mas pela pressão do regime capitalista que também chega recheado de grandes problemas – concentração de renda, discriminação dos grupos de baixa renda, etc.

A solução ainda não existe e seguramente um outro Marx significaria mais problemas de guerras e disputas de poder. Precisamos encontrar um caminho para transformar esse nojento capitalismo que vivemos num capitalismo com ética e assim conseguirmos sobreviver nessa selva. Não é necessário esperar por mártires ou revolucionários. É possível uma resitência globalizada e consciente que transforme a pequena participação do poder de compra de cada indivíduo numa grande arma para uma transformação pacífica.

Romênia

Com a derrota do Império Austro Húngaro na I Guerra Mundial, a Hungria perdeu mais de dois terços de seu território. Umas das áreas é a Transilvânia (terra do “drácula”) que hoje faz parte da Romênia. Como todo “bom vizinho” o tempo todo escutei um falando mal do outro mas parece que possuem boas relações diplomáticas. Na Romênia ainda existem várias vilas cuja maioria da população é húngara.

Uma viagem no tempo num mundo encantado…

Na Transilvânia é onde estão os lindos montes Cárpatos. Pelas pequenas estradas de terra que atravessam a região vi cenas inacreditavelmente belas. Tive momentos em que pude ver mais de dez charretes e nenhum carro.

A melhor parte da viagem está sendo na estrada. As charretes vão quase na mesma velocidade que a bicicleta e várias vezes emparelhamos e vamos conversando por horas. Dependendo da quantidade de Tuica (a cachaça local), as conversas tomam rumos completamente incompreensíveis mas são sempre bem vindas.

A diversão ao atravessar os vilarejos é ficar cumprimentando as velhinhas que ficam sentadas na frente das casas e sempre soltam um sorriso quando me vêem na bicicleta. As pequenas fachadas das casas enganam, geralmente os terrenos possuem um quintal imenso com plantações e criação de todo tipo de animais. De tarde é comum ver as pessoas voltando do campo, abrindo a porta e colocando mais de dez vacas dentro das casas.

Depois de tanto tempo com idiomas indecifráveis finalmente cheguei num país onde consegui entender algumas palavras. Da dominação romana herdaram o idioma latino e também o nome do país.

Poem “brasinesco-romaleiro”

“In timps ce planeta arde oamenii colaboreaza fãrã sens cãntãnd muzica pe care papagalul o repetã:

‘o, frumoasã lunã care se reflectã, in oceon, aici ascult vãntul din imaginea nouã’

Toatã comunicatie tine meritul e posibilitã in cosmosul nostru”

Esse foi um pequeno poema que fiz junto com amigos romenos. Se você não entendeu nada não se preocupe porque nós também não entendemos.

Romênia possui uma grande comunidade de ciganos (estimada entre 400 mil e 1,5 milhão). No caminho passei por várias acampamentos de plástico onde vivem em situação muito precária. Num dos acampamentos me pararam na estrada. Lembrei dos amigos ciganos da Hungria e resolvi tentar conversar e me aproximar deles. A primeira reação de todos da vila foi aproximar e pedir dinheiro. Com mímica expliquei que não sou rico para poder distribuir dinheiro. – Bicicleta! No car! Brasil! Not Europe! I also need money! Eu falava para eles. Depois de algum tempo foram criados dois grupos de ciganos. Um acreditava que eu viajava de bicicleta porque sou muito rico, outro acreditava que sou muito pobre. Uma discussão realmente interessante… No final o segundo grupo me ofereceu uma sopa. Comi um pouco e segui viagem.

Foto: Pastor com o tradicional chapéu e muita Tuica

É um consenso entre os romenos de serem pobres e perigosos. Acho que a idéia de pobreza vem com referência do vizinho rico, a Europa Ocidental. Sim, são pobres, mas passei por países muito mais pobres onde as pessoas não se torturam tanto por isso. Mas a idéia de perigo eu ainda não consegui entender de onde vem. Na casa de amigos em Alba Iulia estavamos conversando sobre isso e por coincidência começou a passar na televisão o filme brasileiro Cidade de Deus. Ficaram de boca aberta com tanta violência e não acreditaram quando eu falei que isso não é ficção mas o retrato da nossa realidade, então entenderam o porquê da minha tranquilidade aqui.

Na Romênia tive uma oportunidade muito bacana de visitar a escola onde estuda a equipe campeã mundial e olímpica de ginástica. Parabéns para vocês!

Foto: Equipe campeã olímpica e mundial de ginástica

O verão mal chegou e já está indo embora. Começaram as chuvas e o frio…

Agora estou em Sibiu a caminho para Bucareste onde irei de avião direto para o Quênia na África para extender a volta ao mundo e conhecer um pouco mais do nosso continente irmão.

Até a próxima,
Argus

Para saber mais
www.guiadelmundo.org.uy
www.muchoviaje.com
www.brasilescola.com
www.arte historia .com
www.consulado- hungria .org
www.cons-gen-romania-rio.com
www.gov.ro

Termas de Budapeste
www.danubiushotels.com

Albergue em Sibiu
www.hostelsibiu.home.ro