Etapa 5 – Relatório 1

Grécia

Giasas amigos, Cheguei na Europa! Aqui na Grécia faz frio, chove e de vez em quando neva. Passei as últimas semanas na ilha de Samos esperando a primavera e celebrando a vida com bons amigos, bom vinho e boa comida O inverno ainda está forte e ruim para pedalar mas já estou novamente na estrada. Agora rumo ao sul da Itália para depois subir para Paris.

Mapa ate a Grecia

Um pouco sobre a Grécia…
“Situada no extremo sul dos Bálcãs, no sudeste da Europa, a Grécia abrange a península montanhosa do Peloponeso e cerca de 2 mil ilhas nos mares Egeu e Jônico. Berço da civilização ocidental, da filosofia, da literatura, da dramaturgia e da idéia moderna de democracia, o país possui mais monumentos da Antiguidade que qualquer outra nação européia. Vários são patrimônios da humanidade, como o Sítio Arqueológico de Olímpia, onde nasceram os Jogos Olímpicos, o Oráculo de Delfos, local de culto do deus Apolo, e a Acrópole, assentada no coração da capital, Atenas.”

Acrópole em Atenas

“A riqueza histórica grega, aliada às praias de clima ameno e águas claras, atrai milhões de visitantes, o que faz do turismo uma das principais fontes de receitas do país. Nas montanhas de solo pobre e rochoso, outrora cobertas por florestas, predominam plantações de uva e azeitona, fruta da qual a Grécia é um dos grandes exportadores mundiais. O país é um dos membros menos desenvolvidos da União Européia (UE).

A Grécia antiga atinge o apogeu no século V a.C., quando Atenas, a principal cidade-Estado da região, é governada por Péricles (495 a.C.-429 a.C.). As cidades gregas, divididas por rivalidades, são dominadas por Felipe II da Macedônia no século IV a.C. Seu filho e sucessor, Alexandre, o Grande, difunde a civilização helênica (grega) pelo Oriente. Em 148 a.C., a região transforma-se em província romana. Com a queda do Império Romano, no século V, a Grécia integra o Império Bizantino até ser conquistada pelo Império Turco-Otomano, no século XV. Os gregos se rebelam contra o domínio turco entre 1821 e 1822. Um reino grego independente é estabelecido em 1832. O território amplia-se com a anexação de parte da Macedônia e da Trácia, em conseqüência da derrota turca nas Guerras Balcânicas, em 1913.”
Almanaque Abril 2003

Apesar das relações diplomáticas com a Turquia estarem melhorando significativamente, a interminável disputa de terras, principalmente na ilha de Ciprus, segue sem solução.

O clima é mediterrâneo e um quinto do território é feito de ilhas.

Hoje a Grécia é uma República Parlamentarista com 11 milhões de habitantes (ONU 2003). 94,7% pratica o cristianismo e deles 93% são ortodoxos.

Igreja Ortodoxa

A Igreja Greco-Ortodoxa leva esse nome porque o grego foi a primeira língua da Igreja Cristã antiga. O Novo Testamento foi escrito em grego, e os escritos dos antigos seguidores de Cristo eram em língua grega. A palavra “Ortodoxa” é derivada das palavras gregas: “orthos” que significa correta e “doxa” significando opinião ou crença.

Após divergências teológicas, jurisdicionais, culturais e políticas, a unidade básica de fé e vida eclesiástica entre Oriente e Ocidente conduziu ao Grande Cisma de 1054 AD, que rompeu a comunicação entre a Igreja Ortodoxa e Católica Romana. Séculos mais tarde, os protestos contra Roma na Europa Ocidental deram origem à Reforma Protestante. Em nossos dias, as Igrejas Orientais pré-Calcedonianas, a Igreja Ortodoxa, a Igreja Católica Romana e as várias Igrejas e grupos Protestantes compõem o largo espectro de Cristianismo.

Os padres ortodoxos possuem uma vida muito mais próxima à vida dos comuns. Antes da ordenação eles podem casar e, no dia a dia vão para os mercados, tabernas, etc.

ATENAS
Pela primeira vez uma companhia aérea não me exigiu que embalasse a bicicleta para voar. Foi perfeito, fui pedalando para o aeroporto de Alexandria e saí pedalando do aeroporto de Atenas. Cheguei em Atenas de madrugada, coloquei as mochilas na magrela, saí do ar condicionado do aeroporto e entrei no freezer natural do país.

Nas primeiras horas em Atenas me impressionei com pequenas bobagens do dia a dia – mulheres andando sozinhas, dirigindo motos, jogando bola, etc. Situações que agente só valoriza quando não tem. Depois de um ano de países islâmicos e hindus, finalmente pude ver mulheres livres de verdade. Que bom poder vê-las novamente nos bares sorrindo, bebendo e se divertindo. Bem vindo o mundo ocidental!

Além da liberdade também me chamou atenção a quantidade de construções na capital. Em menos de 160 dias Atenas irá sediar as Olimpíadas e está arrumando a casa para o grande espetáculo. Muitos estão com receio do tempo não ser suficiente para ficar tudo pronto. É realmente difícil acreditar que eles consiguirão terminar tantas obras.

“… mas as preparações estão tão fora do tempo estimado que os gregos foram alertados pela possibilidade de perder os Jogos. Oficiais do Comitê Internacional dos Jogos Olímpicos (IOC) falaram que apesar de não existir a possibilidade de mover os Jogos, o seu sucesso está em risco.” BBCNews (fevereiro de 2004)

O termo olimpíada surgiu aqui na Grécia em 2500 a.C. quando realizavam festivais esportivos em honra a Zeus no santuário de Olímpia. O envento era tão importante que os países participantes faziam tréguas nas guerras durante esse período. Depois de uma longa jornada, os jogos olímpicos de 2004 em Atenas marcará a chegada do eterno espírito helênico de volta à casa.

Meus dias na capital foram debaixo de chuva e muito frio (alguns dias com 4 graus negativos!) Meu próximo porto foi a ilha de Samos mas para seguir caminho tive de esperar três dias na capital para a chuva aliviar e os ferries voltarem a funcionar.

Neve

Ilha de Samos
Samos é uma das regiões mais orientais da Europa. Da ilha é possível ver e sentir um pouco da Turquia. Fiquei a poucos quilômetros da área turca onde pedalei meses atrás.

SAMOS

A história da ilha também marca essa proximidade. Ela já foi parte do Império Otomano e durante a ocupação a ilha foi um centro de resistência grega. Foi uma das poucas ilhas ocupadas pelo exército otomano que conseguiu manter um governo independente. Muitas de suas vilas são escondidas nas montanhas para se protegerem dos antigos ataques piratas no litoral.

Passando o tempo

Lembra da história da cigarra e a formiga? A vida nessa ilha é assim. Durante o verão todo mundo trabalha com o turismo e o inverno é um eterno domingo. Talvez esses meses pensando na vida sejam o segredo para tanta filosofia.

Samos é supostamente a ilha do filósofo e matemático Pitágoras (580 a.C.?-500 a.C.?), responsável pela criação dos números irracionais e do Teorema do triângulo retângulo – o quadrado da hipotenusa é a soma dos quadrados dos catetos (a² = b² + c²).

Caverna de Pitágoras

“De acordo com antigas tradições, a primeira pessoa a se auto denominar um ‘filósofo’ foi o pensador grego Pitágoras no Séc. VI a.C.” An introduction to Modern Philosophy – Castell, Borchert and Zucker

Hoje existe na ilha apenas uma caverna com seu nome. A caminhada para o local é linda mas a caverna em si é apenas um buraco na montanha.

A sabedoria grega está refletida em sua história. Um professor me contou que no Séc.XVI a Grécia foi um dos poucos países europeus contra as colonizações. Ele me mostrou orgulhoso um artigo e traduziu a frase em negrito: “Colombo, você e sua estúpida curiosidade.” Parabéns Grécia!

Alunos em Samos

Durante a invernada aproveitei para fazer algumas palestras em escolas. Foi bacana. Na Universidade fizeram um convite e por engano colocaram a minha foto com o nome Guimarães Rosa. Na palestra aproveitei para agradecer a distraída homenagem.

Desenho dos alunos

A casa que me hospedei em Samos fica no alto da montanha, na pequena vila de Marathocampos, escondida nas vielas onde nem sequer passa carro. Poucos andam nas ruas e a tranquilidade do inverno contrasta com a agitação do verão que conheci por aqui há quase dez anos atrás.

Viela em Marathocambos

Com Dimitris e Glyca, os bons amigos de Samos, passamos os dias celebrando a vida com bons vinhos e boa comida. Para completar a tranquilidade da pacata ilha, não tínhamos televisão, microondas, cd-players, computadores, celulares, etc. Para aquecer a casa, todos os dias cortávamos lenha e para beber água enchíamos as garrafas numa fonte vizinha. Além da hospedagem ganhei também o aprendizado de ser feliz simplificando a vida.

Viela em Marathocambos com neve

Junto com o aprendizado veio também uma consciência pesada de produzir mais um site nesse mundo virtual que faz tantas crianças perderem o tempo na frente de computadores. Por isso peço para que não gastem muito tempo na frente dessa máquina. Espero que o projeto funcione como uma motivação a mais para que desliguem o computador e saiam pedalando na vida real, conhecendo pessoas e se divertindo.

Igreja nas cavernas das montanhas de Samos

ELEIÇÕES NO PAIS DA DEMOCRACIA
A democracia surgiu na Grécia antiga, no Séc. V a.C. quando seus cidadãos começaram a decidir os destinos da pólis, na ágora, a praça pública.

Hoje o país está concentrado nas eleições para primeiro ministro que serão feitas nesse mês de março. Política na Grécia é igual futebol no Brasil. Nas tabernas, basta tocar no assunto que os limites das mesas se abrem para as discussões e o local se transforma em um parlamento “in vino veritas”.

Fomos numa taverna onde estava ocorrendo um encontro do partido comunista. Logicamente não entendi nada do que falavam mas foi interessante. Pedi para um amigo traduzir a frase que estava junto à foto do Che Guevarra.

“Se você é um jovem e não é comunista, você não tem coração.
Se você é um adulto e é comunista, você não tem cérebro.
Se você é um idoso e não é comunista, você não tem alma.”

O candidato, o padre e o comunista

Ironicamente, no país da democracia, as eleições deixam às claras a oligarquia do país. Os dois candidatos com chances de vitória pertencem às duas familias que sempre estiveram no poder. Apesar do voto ser obrigatório as sanções são pequenas e muitos não votam. Nas últimas eleições o primeiro ministro foi eleito com os votos de menos de 25% da população.

Um dos poetas mais conhecidos da grécia é Konstantinos Kavafis. Um dos seus mais lindos poemas é “A estrada para Ithaca”. Neste poema ele escreve sobre nossa longa jornada da vida, sobre nossas ambições e desejos fazendo uma analogia à ilha grega de Ithaca. E conclui:

“Mantenha sempre Ithaca em sua mente.
Chegar lá é sua meta final,
Mas não tenha pressa na viagem.
Melhor que dure vários anos;
E ancore na ilha quando você estiver velho,
com todas as riquezas que você tiver adquirido no caminho,
sem esperar que Ithaca irá enriquecê-lo.

Ithaca terá lhe dado a linda viagem.
Sem ela você nunca teria partido,
E ela não poderia dar-lhe mais…

Tão sábio que serás, com todo conhecimento,
Já terás entendido o que significa Ithaca.”

Meu próximo país será a Itália e depois subo para a França. Espero que a primavera chegue logo…

Grande abraço,
Argus

Para saber mais
Olimpiada
www.cultural-olympiad.gr
www.atenas2004.gr

Informacao sobre a ilha de Samos
www.diavlos.gr
www.greekislands.com
www.hri.org
www.aegeanstyle.com/samos

Geografia e Historia
www.photius.com
www.theodora.com
www.greece.gr
www.greeka.com
www.ancientgreece.com
www.historyforkids.org/learn/greeks
www.historylink101.com/ancient_greece.htm
www.museum.upenn.edu/Greek_World/Index.html

Vários
www.troymovie.com
www.madeincyprus.net
www.quattro.com

JORNAIS
Elefherotypia
www.enet.gr
Ta Nea
http://ta-nea.dolnet.gr
Kathimerini – English language
www.ekathimerini.com
Athens News – English language
www.athensnews.gr